Clube do Trevo

Clube do Trevo

 

 

O Clube do Trevo foi originalmente criado como um Clube de Cavalheiros e Damas em meados do século XVII na Inglaterra, tornando-se uma fachada para a diversão ilícita da alta sociedade, que tinham um gosto em comum: possuir pessoas para seu bel prazer. Reuniam-se periodicamente em grandes festas a fim de realizar leilões onde podiam comprar homens, mulheres, crianças ou animais raros. A grande maioria dos espécimes humanos vinham da pobreza e do anonimato das ruas, mas já houve muitos casos de “peças” especialmente encomendadas, roubadas de famílias abastadas e nunca mais vistas.

A negociação em seus leilões sempre foi protegida por seu poder e posições sociais privilegiadas, pois havia uma regra para a aceitação dentro do Clube do Trevo original: os membros deviam pertencer à elite, diferenciando-os da grande maioria da população, afinal a posse de pessoas era a maior demonstração de poder e desprezo que podiam ter para com os menos privilegiados, quase um manifesto.

Ao longo dos séculos houveram tentativas de acabar com o Clube do Trevo, mas todas apenas arranhavam a superfície da organização. Com o colapso financeiro do planeta e de seus governos, o Clube ganhou forças e se tornou não apenas um dos maiores grupos criminosos mais lucrativos e bem sucedidos, mas também uma corporação de luxo, mantendo sua fachada.

Apesar de adotar a estrutura organizacional do Clube original, o novo Clube do Trevo deixou de ser um grupo de cavalheiros sem uma liderança definida para ser uma autêntica organização criminosa, que reúne os maiores líderes criminosos pós-colapso do submundo e que controlam a criminalidade em regiões distintas do planeta.

Seu símbolo, um trevo de quatro folhas, representava em seus primórdios, a sorte e privilégios que receberam em seu nascimento, mas com a mudança em sua formação, isso se tornou irrelevante, já que o que passou a importar era o poder econômico e o comando no mundo do crime. Agora, dentro do Clube do Trevo, o antigo símbolo possui uma nova representação. As Quatro Folhas são os braços principais da organização e atualmente são ocupados por:

Romeu Marchetti – Vindo de uma tradicional família mafiosa, comanda sua divisão do Clube, investindo em projetos que possa levá-los ao controle total da organização. Seu território abrange os Estados Unidos da América do Norte, América Latina e Liga das Nações Livres e possui sede em Nova York. Tem conhecimento sobre a real função da Fundação JUSTICE e da Agência J, criadas por seu amigo de infância e grande inimigo, o multimilionário Joseph Conrad.

Cyrus Vance – Descendente de um dos membros do Clube original, é um multimilionário inglês que herdou sua fortuna e a manteve através do tráfico de drogas. Cerca-se de excelentes administradores, pois devota sua vida tediosa a realizar sua maior obsessão: um obscuro Jogo Voyeur. Seu território compreende a Europa, Novo Império Romano e a África Negra, com sede em Londres.

 Anton Server  Nasceu na Sérvia e viveu como um garoto pobre nas ruas de Moscou, mas galgou posições na Máfia Russa através de sua crueldade e inteligência. Chegou ao topo ao se casar com a filha de um influente membro do Governo, mas quando se sentiu ameaçado por ele, eliminou-o junto com sua família. Guarda certo ressentimento pelos demais membros do Clube do Trevo, por ser o único de origem humilde e de forma paranoica, sente que o julgam mal por isso. Seu território é enorme, abrangendo a Federação Russa, Sultanato Islâmico e Israel. Sua sede fica em Moscou.

Yang e Yoko Lee – O sino-japonês casal Lee é formado pela união de Yang, herdeiro das Tríades e Yoko, herdeira da Yakuza. Dentre dos Quatro Trevos, são os mais cruéis e comandam suas regiões com mãos de ferro. Comandam um território que inclui Grande China, Ásia Meridional e Império Japonês e sua sede fica em Xangai.

O foco das atividades do Clube do Trevo não se resume mais à compra e venda de pessoas, apesar dessa ainda ser uma diversão em algumas reuniões dos membros do segundo e terceiro escalão. Atualmente, o Clube lida com toda e qualquer atividade criminosa, seja roubo, tráfico ou homicídios, mas mesmo possuindo esse monopólio, não chegam a atingir o faturamento das Mega Corporações que comandam a economia, mas isso é algo que pretendem mudar em breve. Suas atividades mal podem ser reprimidas pelos governos e o máximo que estes conseguem é arranhar a superfície da organização, porém, nos últimos dois anos, encontraram resistência em pequenos grupos, que agem sozinhos ou que talvez esteja ligada a alguma organização inimiga. Esta se tornou a única preocupação dos líderes, as Quatro Folhas, pois o mundo do crime e a impunidade total, são deles.